Amor bom é esse que chega de mansinho, bem devagarinho, sem causar muito auê. Não me leve a mal, não estou diminuindo os sentimentos de ninguém, mas a paz de um amor tranquilo me traz muita felicidade. É que eu me cansei de viver a vida em perigo a todo momento. Um dia, pode ter certeza, você vai se cansar do medo, da insegurança, da inconstância e vai querer qualquer tipo de certeza que te dê coragem e firmeza. Eu vivi a mil por hora e tive alguns acidentes que me causaram feridas profundas. Não que não tenha valido a pena, sabe? Mas é que sei lá, alguns machucados demoram muito a sarar. E cicatrizes doem bastante conforme a lua muda, vai entender.

Já vivi o amor em sua totalidade, pela metade, já amei sozinha e fiz loucuras. Aprendi também que ele não precisa ser devastador o tempo todo. É bom amar baixinho, quentinho, debaixo de um edredom assistindo a qualquer filme enquanto chove. Tem coisa melhor que colocar a cabeça no travesseiro e saber que há alguém que pensa em você antes de dormir? Ou quando, no meio do seu dia de trabalho agitado, você recebe aquela sms que te faz dar um sorrisinho em meio a tanto estresse?

Eu descobri muito mais sobre o amor depois que amei de verdade. Não adianta nos basearmos nos filmes de comédia romântica que, para qualquer que seja a história, há um final feliz. No começo é tudo fofo. Tudo é aceitável, perdoável, tudo é lindo. Mas o tempo passa e aí passamos a conhecer mais um ao outro. Tem confronto de ideias, sabe? Tem projeções para o futuro totalmente diferente umas das outras. E tem ciúmes, meu Deus, o ciúme. Quem disse que seria moleza viver um amor da realidade? Amor, para ser de verdade, não é perfeito. E o bom do amor é saber que os sinais positivos compensam os negativos. Tem turbulências, falta paciência e sobra vontade de permanecer juntos.

Você só vai conhecer o amor de verdade quando sobreviver a um. E acredite, a recompensa é linda.

Captura de Tela 2014-02-20 às 16.14.40

Texto por Raiane Ribeiro, conheça o blog dela!

Post Anterior

Barroco Tropical: Make B

Próximo post

Looks: Baile da Vogue 2014