A década de 20 foi marcada pelo Jazz e pelas melindrosas- mulheres vanguardistas que apresentavam um visual chocante para época: vestidos acima do joelho, chapéus menores e mais discretos e maquiagem (antes só utilizada por atrizes e prostitutas).

As melindrosas foram o resultado do trabalho de Paul Poiret, Jeanne Lanvin e Chanel, os três maiores estilistas do começo do século XX. Eles libertaram as mulheres dos espartilhos apertados e dos vestidos volumosos. A partir daí os vestidos ficaram mais largos, a cintura não ficou mais tão marcada, sendo deslocada para baixo, no que chamamos de “cintura baixa”.

Os vestidos de franja, que eram os mais usados pelas melindrosas durante as festas, ainda são muito usados hoje em dia. Os vestidos com a cintura baixa marcada, ao contrário, já não são tão usados assim, já que o padrão de beleza atual é ter a cintura fina, enquanto na década de 20 o padrão de beleza era a mulher sem curvas. Porém, essa impressão estética pode ser atenuada se diminuir o comprimento do vestido, como no look do vestido branco.

Para o dia-a-dia, a cintura baixa ainda está valendo, acompanhada das sapatilhas- também muito utilizadas na década de 20- e do chapéu de aba curta, uma das maiores marcas das melindrosas.

Post Anterior

gossip looks

Próximo post

Phyna de Phyton