Ontem eu assistiCinquenta Tons Mais Escuros” (Fifty Shades Darker) – sequência do sucesso que levou mais de 6.5 milhões de brasileiros aos cinemas em 2015, baseado no best-seller de E.L. James. O filme é sobre o segundo capítulo da história de Christian Grey e Anastasia Steele. Sobre a reconciliação do casal, a dominação e a loucura toda que só quem leu o livro entende.

Nesse livro a Ana exige um novo acordo antes de dar ao Grey uma nova chance – mas no filme isso é tratado super rápido e de uma forma bem boba. De modo geral o filme é bem mais bobo do que o livro, em todos os sentidos. Tentam colocar  um “que” de suspense e mistério de uma forma muito superficial e sem nexo. Enfiam cenas desnecessárias e não aprofundam nenhuma. Mas de forma geral, é um bom entretenimento – só não vá esperando um grande filme. Eu gostei de assistir, me prendeu a atenção pelas 2 horas de filme e fiquei com vontade de ver o próximo. Então, missão cumprida para um filme desse gênero maaaaaas….

A maior crítica de Cinquenta Tons Mais Escuros que eu tenho é como a Ana consegue ser ainda mais babaca no filme do que no livro? No livro eu já me estressava com ela e no filme eu tinha vontade de dar uns tapas na tela pra ela acordar. kkkk Eu tinha esperança de que apesar da Ana ser bobinha no primeiro filme, ela viria mais madura nesse segundo e isso me decepcionou um pouco – se você só assiste o filme e nunca leu o livro, fica com a impressão de que ela aceita algumas coisas inaceitáveis só por causa do dinheiro, da “sedução”, etc do Grey. A clássica história da Cinderela onde a mocinha virgem se apaixona pelo príncipe e ganha roupas caras, notebooks, passeios de barco, helicóptero, etc. Além disso a Ana é completamente sem sal e por mais bonito que o Grey seja, ele também é. Fica um casal meio boring. O tipo de pessoa que você não tem vontade de conviver, sabe? Tem aquele jeito de casal chatinho. Gosto quando os personagens me fazem ter vontade de ser amiga deles. Definitivamente não é o caso.

É aquele tipo de coisa que eu não consigo aceitar que eles vão ter um futuro lindo juntos. É um conto de fadas com um final fadado ao fracasso – se fosse na vida real, quando a paixão passasse eles simplesmente não conseguiriam ficar juntos. No filme o Grey é só um cara lindo, muito louco, cheio de problemas mentais. No filme não tem nada de apaixonante no cara, além da beleza (que todo mundo que já se relacionou com alguém sabe que isso não é nem perto de suficiente para manter um relacionamento feliz).

Lendo o livro já tive uma sensação diferente – lá aprofundou um pouco mais sobre os motivos que fizeram ela se apaixonar por ele, etc. Mas isso é super normal de adaptações para o cinema, então eu relevei e me diverti. É uma novela (mexicana porque até um helicóptero cai do nada hahahaha afff) com muito sexo. Fiquei com a impressão de que eles tentaram agradar o público que reclamou da falta de sexo do primeiro filme e capricharam mais nesse quesito – mas as melhores cenas “sensuais” foram justamente aquelas mostradas no trailer (que ela tira a calcinha no restaurante, elevador, chuveiro…). O resto foi bem normalzinho – com muitos seios da Ana de fora enquanto o Grey ficava de calça (sim). kkkk De maneira geral é tudo muito previsível, diálogos pobres e forçados que dão vontade de rir. 

Agora vocês podem estar pensando: tá, com tanta coisa ruim, por que eu gostei? Eu gostei porque fui esperando por isso. Sem nenhuma expectativa a mais. Li os livros e não foi nenhuma obra prima, vi o primeiro filme e idem. Então, esperava me divertir e só – foi o que aconteceu. O filme me surpreenderia se fosse diferente do que foi – não me surpreendeu e também não me decepcionou pois já sabia o que vinha. Errado não é o filme. Errado mesmo é ir assistir Cinquenta Tons Mais Escuros e esperar que seja o tipo de filme que mude a sua vida.

Post Anterior

Bangkok: Restaurantes e Culinária

Próximo post

7 peças que você vai desejar nesse inverno