Então chegou dia dos namorados, mais uma vez. E com ele, seus clichês e declarações, quase na mesma intensidade que as lamentações e revoltas. Quem está namorando publica fotos de jantares maravilhosos, passeios especiais, presentes e todas as coisas fofas típicas desta data. Já quem não está, procura o mais rápido possível arrumar programação para o dia (de preferência em algum lugar que não esteja abarrotado de casais), sem falar nos que saem com a certeza de que o companheiro dos sonhos aparecerá naquela noite.

Apesar de todas as queixas, negações e provas de ‘auto suficiência’, duvido que até o solteiro mais convicto do mundo não tenha alguém de quem se lembre no fatídico 12/06. Seja um cheiro, um sorriso, um nome… Aquela lembrança virá. Quanto tempo esteve lá, escondida? Quanto tempo ficará? Difícil dizer, mas no dia dos namorados, por incrível que pareça, seja a ficada da semana passada ou o namoro de anos terminado há pouco tempo, ela que veio a mente. Tudo bem, talvez essa lembrança suma no dia seguinte. Ou talvez não. E no meio dessa história, não é que o dia dos namorados, fugindo do óbvio, acaba sendo muito mais revelador para os solteiros! Esqueça as tentativas de provar o quanto está bem assim, e curta sua lembrança. Não fuja dela pelo menos neste dia. Pode ser melhor do que você imagina. Como dizem por aí, tem muito solteiro apaixonado e muito namorado fingindo que ama. Afinal de contas, seja qual for o dia do ano, namorados ou não, o que importa é o que está no coração.

Love

Post Anterior

#torcidalinda: resultado do sorteio!

Próximo post

Look: dia dos namorados