Não exatamente imita, mas inspira. Não é de hoje que podemos ver essa inspiração da moda em movimentos artísticos ou nas obras dos próprios artistas. Essas duas matérias sempre andaram juntas buscando inspiração e sofrendo influências uma da outra. Passa estação entra estação e sempre nos deparamos com alguma releitura, seja da própria tendência ou de alguma década passada. Então, não seria diferente vermos nessa estação a releitura de uma obra, influência essa que volta com bastante força na obra de Piet Mondrian, Composição com vermelho, amarelo e azul, ano de 1921.

Essa obra já tinha sido fonte de inspiração em 1965, para Yves Saint Laurent, que apresentou na passarela vestidos tubinho com as cores e traços da obra de Mondrian.

Mas a inspiração não para por aí, as bolsas da Céline da próxima estação têm as cores primárias (vermelho, amarelo e azul) dando forma à suas bolsas e retratando a obra de Mondrian. Acontece também com um modelo do sapato da Yves Saint Laurent. De modelos nacionais temos o sapato da coleção outono/inverno 2012 da Werner, que tem como foco o salto, caracterizando a obra do artista holandês.

Inspiração de sobra, vocês não acham? As cores primárias dão uma lição de simplicidade, com suas cores fortes deixam as formas ainda mais nítidas e vibrantes.

Post Anterior

Quem dirige hoje?

Próximo post

Debutante fashion