Bonito o sorriso que você vê naquelas fotos dela, né? Bonitas são as amigas que estão ao lado dela sorrindo, mostrando a língua e colocando todas aquelas hashtags. Bonito o som da gargalhada dela, você poderia escutá-la durante horas, não poderia? E quando ela anda? Nossa, parece que o mundo se enche de cor, não é? Quando ela manda aquela mensagem perguntando se você esta bem e você percebe que ela realmente se importa, você sente o coração palpitando, eu sei.

E quando ela prende o cabelo de uma forma desajeitada e dois segundos depois os fios caem todos e ela suspira cansada de tentar prendê-los? Quando ela coloca a mão na nuca e massageia o pescoço indicando cansaço ou inquietação. Inquietação de mente que vai descendo pelo corpo contagiando tudo ate que a perna dela começa a balançar. E quando elogiam ela? A expressão que ela faz e as palavras que ela perde, quando ela abaixa a cabeça e solta aquele sorriso torto enquanto sussurra algo pra conseguir mudar de assunto, até nisso você deseja que ela seja sua.Tudo pra você, cada traço e cada movimento é a coisa mais linda do mundo, inclusive quando ela bate a coxa na quina da mesa e faz cara de dor, morde o lábio e continua andando constrangida, até ai você sabe que nos pensamentos dela ela se repreende por ser tão atrapalhada.

Mas você, por algum segundo sequer já parou para pensar em como ela sente quando esta sozinha? Você já reparou se os olhos dela brilham? Pois é, não brilham e a muito tempo por sinal. Você reparou nas peças de roupa, nos sapatos e nos roxos causados pelas batidas em diversos lugares, você reparou em quantas doses ela já engoliu mas nunca parou pra entender o que leva ela a beber daquela forma.

Nunca reparou que talvez ela esbarre tanto por ai graças a mente longe, bem longe do próprio corpo. Em algum momento você se perguntou o motivo dela ficar tanto tempo sozinha naquele banco, de pernas cruzadas e com o olhar vazio? Ou você só reparou em como ela fica linda de pernas cruzadas, ou pior: só reparou nas pernas dela? Não estou te condenando quanto a isso, só estou dizendo que ela tem essência. Uma essência da qual você vai demorar a descobrir se continuar vendo apenas o brilho que ela espalha por ai.

Se você continuar vendo a casca nunca vai entender mesmo o que ela faz sozinha. Se você continuar reparando na pinta que ela tem no ombro e em como ela ajeita a blusa de frio contra o corpo e não for lá oferecer o seu casaco, você nunca vai saber o melhor que ela tem pra oferecer e acredite: dá pra melhorar. Eu também não estou dizendo pra você parar de reparar nos mínimos detalhes, só digo que você já sabe isso, talvez seja hora de ir além. Assim as coisas começam a fazer sentido.

As dores dela fizeram com que ela passe tanto tempo sozinha, ela criou paciência para resolver os problemas profissionais e familiares mas os dela mesma não é tão fácil assim. Ela criou uma armadura digna de filme de gladiador e faz parte do teatro só fazer você receber as gargalhadas. De todos os tópicos citados o mais perto que você chega de saber quem ela é se faz presente nas mensagens que ela te manda. Realmente, ela se preocupa. Se preocupa com os outros a ponto de esquecer que um dia alguém possa se preocupar com ela também. É difícil de acreditar, eu sei.

Quanto as fotos, sorrir é a parte fácil pra quem suporta dores indescritíveis, gargalhar é mais difícil mas com o tempo a prática leva a perfeição. Não se engane, ela ilumina tudo ao redor mas ainda não achou o interruptor que a acenda por dentro. A escuridão que ali se instalou não é das pequenas e talvez, se você se preocupar em olhar dentro dela, ela deixe você chegar acender um fósforo.

Post Anterior

Meu primeiro "vlog"!

Próximo post

Energético orgânico