Eu não consigo ir viajar para algum país sem antes digitar no google as famosas frases: onde fazer compras em Miami, lojas em Barcelona, roteiro de compras em Paris, o que comprar em New York, etc. Para mim, que sou louca por moda e adoro ver lojas mesmo se eu não for comprar nada, a parte das compras em uma viagem é mega importante. Adoro ver vitrines e vasculhar araras, principalmente de fast fashions. Todo mundo que já viajou para outro país sabe que H&M é sinônimo de perdição! Uma coisa mais linda que a outra por um preço que o nosso Visa Travel Money pode pagar. Não tem como não lotar a mala com essas fast fashions gringas. Mesmo que depois bata o arrependimento de ter gasto muita grana com peças que você lava 2 vezes e já estão um trapo. Ou seja, bem fast mesmo. Mas tem muita coisa que vale a pena trazer. Uma delas são peças das coleções especiais. Agora, no dia 04 de abril, chega as lojas da H&M roupas de festa “Eco Friendly”, lindas e baratas. Olha esse vestido (meu predileto da coleção). Desejei! Afinal, esse tipo de vestido você literalmente só usa uma vez na vida, em um só evento e depois deixa guardado no armário pra sempre. Apoio totalmente usar fast fashion em eventos de gala. O vestido não precisa custar 50 mil reais e durar a vida toda se eu só vou usar uma única vez. Várias celebridades já apareceram com fast fashions nos Red Carpets.

É ou não é digno de Red Carpet? Formatura? Madrinha de casamento? Entretanto, comprar também (ou deixar de lado a fast fashion) algum item mais durável que o preço é melhor nesses países é uma dica muito válida. Por exemplo: uma bolsa clássica da Chanel, um sapato Louboutin (preto ou nude pra você usar por muuuito tempo), um óculos da sua marca predileta. Enfim, são itens caros mas que você vai usar muito e talvez até passe de geração para geração, como uma boa bolsa. Claro que isso depende muito do seu bolso. Mas lembre-se disso na hora de comprar um Louboutin cheio de cristais que você vai usar pouquíssimas vezes, ou de torrar todo a sua verba de compras em fast fashions que na próxima estação você não vai nem lembrar mais (e ainda perceber que você poderia ter comprado tudo na Renner pela mesma qualidade e sem carregar peso na volta da viagem). Então, uma boa combinação é investir em algum item clássico e durável e com o resto da grana, gastar em roupas lindas, na moda e mega baratas!

Se você estiver viajando pra Europa (principalmente Espanha), não deixe de passar em uma das inúmeras Zaras. Não vou dizer que o preço é muito mais barato que aqui, porque não é. A menos que você pegue uma “rebaja” (promoção) os preços são bem semelhantes com o Brasil. Entretanto, tem peças que não vem pra cá ou que só chegam 2 coleções mais tarde. Dê atenção especial também para a Bershka, uma fast fashion incrível que não tem por aqui. Outra que, apesar de ter em alguns estados do Brasil, vale a pena comprar é a Mango. Coisas lindas e bem mais baratas que as filiais brasileiras. Qualquer país que você for você vai encontrar a “praga” das fast fashions. Nos Estados Unidos, as clássicas Forever 21, Topshop, etc. Se o destino for New York, confira esse post aqui. Na Austrália não deixe de visitar a Myers. Por mais que você prefira comprar itens mais duráveis, sempre tem uma meia calça incrível ou algum outro acessório barato e lindo.

Sobre a qualidade das peças de fast fashions gringas, não se engane. É a mesma qualidade das fast fashions por aqui. Comprei uma legging na H&M que eu nem lavei e já tá imprestável. Ou seja, se você gostou muuuuuuito de uma peça que tá em liquidação por 5 euros, a minha dica é comprar 2 delas porque certamente vai estragar logo. Sobre “quando comprar”, sempre sugiro deixar um dia inteiro dedicado as compras. Ou até mais, se você gosta muito de moda ou de gastar dinheiro hehehhe. Se você estiver fazendo um mochilão pela Europa, por exemplo, planeje para que o último país visitado seja o mais “forte” em compras, ou o mais barato. Eu, particularmente, achei a Espanha o melhor lugar para compras na Europa. Quando eu fiz mochilão, me programei para que o último lugar antes de pegar o avião fosse Barcelona. Assim, lotei meu mochilão só na hora de voltar e não precisei carregar tanto peso na viagem (mentira porque eu não tenho auto controle e comprei mais do que deveria desde o primeiro dia e fiquei quase corcunda levando minha mochila). Muuuuita atenção se você tem voôs internos dentro do país que você tá viajando porque provavelmente a restrição de peso de bagagem é muito maior do que os voôs internacionais. O mesmo vale se você é de Porto Alegre, por exemplo, e o seu voô interncional é só a partir de São Paulo. Quando fui para a Austrália paguei quase mil reais de bagagem extra porque tinha um voô de Sp-Poa que o peso da bagagem era bem menor do que o internacional.

Quem não tá com viagem marcada pode se deliciar sem sair de casa com o mundo das Fast Fashions com a minha querida-amada-idolatrada Asos. Se você comprar menos de 50 dólares não paga frete pro Brasil. Ou seja, muito amor! Comprei inúmeros anéis por 5 dólares nas promoções do site. É bom ficar de olho que sempre rola “sales” imperdíveis por lá. Quem aí também é viciada nessa moda rápida, linda e barata das Fast Fashions?

Post Anterior

Em Porto Alegre: Constantino

Próximo post

All black