Posts tagueados

ex namorado

Refletindo

Quantas vezes você desbloqueia o celular pensando que vai ver uma mensagem minha, quando não há? Inclusive, eu também faço isso, viu? Preciso me policiar pra não ir na sua janela dizer: E ai, quando esse joguinho acaba? Acaba quando a gente toma vergonha na cara e resolve dizer. Resolve que o abraço é melhor que o frio na barriga de incerteza. Frio na barriga só é bom em montanha russa, só é bom quando o carro passa rapidinho em uma descida ou em uma lombada e quando ele vem porque você quer ver logo o sorriso de alguém. Quando você tem a certeza de que o sorriso vai se abrir, o frio na barriga se transforma em algo tão bom que você viveria com as borboletas la dentro, batendo freneticamente as asas te alertando que você esta feliz! Que esta tudo bem e o sorriso que você quis ver

Leia Mais
Refletindo

Não adianta insistir, algumas coisas possuem um prazo de validade na nossa vida. Pessoas também. Não raro, ignoramos certos sinais, claros e evidentes, que tentam nos mostrar o encerramento de um ciclo. Não enxergamos porque o coração não deixa. Ou não quer. Não nos ensinaram como dizer Adeus, ainda mais no pleno do sentimento. Um dia a gente descobre que amar não é o suficiente. Não existe felicidade diária, ou um relacionamento sem divergências. Uma relação pode, inclusive, terminar sem brigas. O que indica o fim é exatamente uma ausência de reação que o outro possa lhe causar. Pro bem e pro mal. Se o abraço dele não lhe provoca mais aquela sensação de conforto, é hora de repensar a paixão. A harmonia até existe, um entra pela casa e já vai lavando a louça, enquanto o outro deixa o lixo ao sair pela porta. Ao deitar, o casal promove

Leia Mais
Refletindo

Nunca é fácil terminar um relacionamento. Ainda mais quando a mudança não parte da gente. Parte a gente. Falo daquele pé na bunda indesejado, inesperado, de um ciclo encerrado abruptamente e de forma unilateral. Situação terrível, choque de fantasia, distorção da realidade. Vontade de não mais existir. Mas existem flores brotando no deserto sentimental que vivemos no momento da fossa. Basta querer enxergar. É difícil ter consciência quando o chão se abre sob nossos pés, quando a dor no peito desatina e a razão não faz mais sentido. Complicado ter que buscar uma força que desaparece, lidar com a sequência daqueles minutos de angústia. Mesmo assim, é preciso um último suspiro, um fôlego de sobrevida, um apoio fraterno dos amigos pra tirar a gente de casa, daquele estado moribundo. Temos que nos abraçar em algo ou alguém, nem que seja no travesseiro como hospedeiro das lágrimas, ou nas canções que

Leia Mais
Love
Refletindo

Então chegou dia dos namorados, mais uma vez. E com ele, seus clichês e declarações, quase na mesma intensidade que as lamentações e revoltas. Quem está namorando publica fotos de jantares maravilhosos, passeios especiais, presentes e todas as coisas fofas típicas desta data. Já quem não está, procura o mais rápido possível arrumar programação para o dia (de preferência em algum lugar que não esteja abarrotado de casais), sem falar nos que saem com a certeza de que o companheiro dos sonhos aparecerá naquela noite. Apesar de todas as queixas, negações e provas de ‘auto suficiência’, duvido que até o solteiro mais convicto do mundo não tenha alguém de quem se lembre no fatídico 12/06. Seja um cheiro, um sorriso, um nome… Aquela lembrança virá. Quanto tempo esteve lá, escondida? Quanto tempo ficará? Difícil dizer, mas no dia dos namorados, por incrível que pareça, seja a ficada da semana passada

Leia Mais
Refletindo

Minha boca estúpida revelou, mais uma vez, pensamentos sombrios. Não, devaneios. Só disse demais e estragou o que a gente tinha de melhor. O que eu tinha de melhor, que era você. Tudo o que eu sei é que o que você sentia por mim mudou completamente. E você pode dizer que me ama, que está tudo bem e que vamos superar todos os empecilhos juntos, mas quando pego esse seu olhar vago enquanto converso sobre sentimentos, me desespero. Cresci sabendo que temos que pensar antes de falar, que precisamos filtrar nossos sentimentos e emoções pra não machucar quem está ao nosso redor, mas minha boca estúpida com a mesma mania de intensidade de sempre disse tudo o que veio à mente, desse jeitinho mesmo, na lata. Sei que no meio de tantos gritos, verdades e desabafos deveria conter coisas que eu penso quando te olho. Acho que nunca te

Leia Mais
Refletindo

Ela mora no interior e ele na capital. Ela tem uma energia de viver declarada no olhar, enquanto ele carrega uma certa timidez e uma cautela no arriscar. Em comum, um sentimento forte, nunca visto ou sentido por ambos. Mas isso nunca foi o suficiente. Os sonhos distintos afastaram os dois. Ela foi morar fora, ele ficou. Eles tentaram à distância, mas não deu certo. Outras pessoas apareceram, eles se envolveram e foram felizes. Mas nunca o suficiente. Foram anos de uma esperança incomum, de um dia viver aquela história interrompida, consertar as falhas do destino, devolver justiça ao tempo. Os desencontros ocorriam até quando ele entrava em uma sala de bate-papo na internet. Ela havia acabado de sair. Quando ela voltava para a terra Natal, ele estava em viagens, ou atarefado com o trabalho. Quando quis largar tudo para ir atrás dela, faltou dinheiro. Quando ela quis abandonar tudo,

Leia Mais
Refletindo

Como voltar para um lugar onde você já foi feliz? Ainda mais se esse lugar for o colo do seu ex-namorado. Não terminou porque acabou a paixão. O sentimento simplesmente esfriou e o ineditismo da vida moderna obrigou a mudança. A gente precisava mesmo conhecer outras pessoas, ter certeza das nossas vontades. Meu medo era que, se continuasse como estava, perderíamos a amizade que tanto nos uniu. Que dilema terrível esse. Os relacionamentos passam por uma fase que, se você insiste, corre o risco de desgastar a convivência que evite até um olhar posterior. Se terminar com o respeito e o carinho ainda existentes, o risco é da paixão não findar, apenas adormecer. Você mexe comigo, mas e agora? Você é quem eu conheci? Se não é, está melhor ou pior? Lógico, só saberei se tentar, mas não foi apenas o recuo dos nossos corpos que provocou o término. Foram

Leia Mais
Refletindo

Por quê? Por que você mexe comigo dessa maneira? Por que não consigo sentir o teu cheiro sem pensar bobagem? Por que não me controlo quando você chega perto de mim? Por que eu me sinto assim? Por que você existe? Por que, por que, por que? Perguntas sem respostas me fazem questionar o que eu quero pra mim. Ele não faz meu tipo, mas me atrai. Como explicar? Não sei. Não gostamos da mesma coisa, mas as nossas conversas são tão boas, que nem vejo o tempo passar. Na verdade ele até me irrita um pouco. No entanto chego em casa e quando deito a cabeça no travesseiro, é como se ele fosse o travesseiro. Está ali, entranhado em meus pensamentos, na porta de entrada para os meus sonhos. Não sei se é química, se é algo transcendental, empatia de alma, etc. Só sei que é inexplicável o que

Leia Mais