Nossa lua de mel foi incrível e começou por uma cidade impressionante: Bangkok! Não vou mentir: estava um pouco com o pé atrás em relação a Bangkok. Nosso foco na Tailândia eram as ilhas e praias mas, inevitavelmente, acabávamos passando por Bangkok na chegada e na saída do país. Então porque não conhecer também? E quer saber: amei e voltaria mil vezes. Bangkok é incrível, é uma capital super moderna com um contraste lindo do tradicionalismo do país. Bangkok é cheia de restaurantes incríveis, templos emocionantes, lojas bacanas, pessoas alegres. Gostamos muito de viajar para Bangkok e foi uma experiência inesquecível. Se você vai para a Tailândia não deixe de passar uns dias nessa cidade super peculiar, única e cheia de diversidade. Preparei muitas dicas para sua viagem para Bangkok ser ainda mais bacana. Confira!bangkok

Dicas de Bangkok

A grande Bangkok soma mais de 15 milhões de habitantes e é uma das cidades que recebe mais turistas no mundo todo. Não é difícil de entender porque: a cidade além de ser incrível, um centro financeiro e cultural gigante, também é porta de entrada para muitos paraísos da terra que todo mundo sonha em conhecer: Koh Phi Phi, Maya Bay, Ko Tao, Ko Samui, etc. Além disso, a Tailândia costuma ser um destino muito barato para diversos países por conta da sua moeda desvalorizada. Para os brasileiros, por exemplo, é muito mais barato uma viagem para a Tailândia do que para a Europa. Apesar da passagem do Brasil para a Tailândia ter um valor expressivo devido a grande distância, o preço da hospedagem, das comidas e passeios compensam muito.bangkok-visita-templos-dicas

Primeiras impressões e “defeitos” de Bangkok

Caos! Essa é a primeira palavra que passa na cabeça de todo mundo que faz o seu primeiro passeio em Bangkok. Não dá para negar: a cidade é sim caótica. Mas não se engane: existe muita beleza e cultura no meio da confusão! #existeamornocaos A pobreza e a riqueza convivem lado a lado – tipo, comida de rua por 1 real na frente da loja da Dior e ao lado de um restaurante com estrela Michelin. Shoppings super modernos dividem o bairro com lojinhas de falsificações e mercados bizarros. O trânsito é caótico. Simplesmente uma loucura – a impressão que temos é que não existe leis de trânsito em Bangkok. Tuk tuks para todos os lados, respeito zero com a faixa de pedestre, taxistas desonestos. As ruas sempre tem cheio de fritura ou peixe e o calor é desumano. Sim, tudo isso faz “parte do pacote” de visitar Bangkok (e toda a Tailândia na verdade). Mas não existe motivo para se desanimar: até mesmo as coisas confusas e ruins fazem parte da experiência de conhecer uma cultura tão diferente da nossa. Tenha paciência e leve tudo na esportiva, assim sua viagem será inesquecível e cheia de boas recordações.

Moeda e preços em Bangkok

A moeda usada em Bangkok é o Baht (assim como toda Tailândia) e a conta mais simples é a seguinte: 10 baths equivale a 1 real, mais ou menos. Como é muito difícil achar bahts para comprar no Brasil (se tiver, geralmente a cotação não é boa) a indicação é levar dólares e trocar por baths nas casas de câmbio da cidade – tem no aeroporto, nos shopping e em diversos locais. É super fácil encontrar! O ideal é trocar um pouco no aeroporto para não ficar sem nada (a cotação obviamente não é a melhor em nenhum aeroporto né) e depois procurar alguma casa de câmbio pela cidade. Indico as de grandes shoppings como o Central World ou o Terminal 21 pela segurança e conveniência – você sempre acaba passando por algum deles.

Em Bangkok é tudo super barato – táxis, comidas, passeios… É super justo e é possível sobreviver com poucos baths. Claro, existe programações para todos os bolsos: desde refeições (gostosas) de rua por 20 baths (2 reais) até restaurantes que custam 200 dólares o prato. Basta escolher o que cabe melhor no seu bolso e estilo de viagem e aproveitar. Nós balanceamos bastante: conhecemos restaurantes bacanas e também provamos a comida de rua tão famosa – assim o valor fica bacana! Se essa for a sua intenção separe a média de uns 100 dólares por dia (por pessoa) entre alimentação, transporte e passeios – sem hospedagem. Mas é realmente difícil estipular um valor para a viagem dos outros, ainda mais na Tailândia onde existem diversas opções. Se você quiser gastar 20 reais por dia com alimentação é possível, se quiser gastar 1000 também é possível.

Transporte em Bangkok

O táxi em Bangkok é realmente muito barato – você pode ir de um lado a outro da cidade por 20 reais, por exemplo. Entretanto, nem sempre é a melhor opção pois o transito é realmente muito caótico. Você pode facilmente perder 3h do seu dia em um taxi se não tomar cuidado. A melhor opção para se locomover por Bangkok é através do Skytrain (BTS): um trem muito bacana que passa por cima da cidade! Já para alguns destinos, você pode optar pelos taxi boats do rio Chao Phraya. Tuktuks também são uma boa pedida – eles estão por toda a parte! Ao contrário do que tínhamos pesquisado, os tuktuks são mais caros do que os taxis. Então são bacanas para quebrar o galho em trajetos curtos – até porque não são muito seguros, mas precisam ser conhecidos. Andar de tuktuk é muito legal mas prepare-se para o frio na barriga constante.tuktuk-tailandia

Resumindo, em Bangkok nós usávamos basicamente o BTS (skytrain) durante o dia. De noite íamos de táxi jantar em algum restaurante pois era barato, cômodo e conseguíamos fugir do transito por conta do horário. Algumas vezes pegamos o tuktuk para ir de um ponto turístico até o outro. Caminhávamos bastante mas dependendo do horário era impossível por conta do calor.

Um dica essencial é sempre procurar um “taxi by meter” – são os táxis que trabalham com o taxímetro. Eles não são tão fáceis de achar quanto os outros, mas existem. Antes de entrar no taxi pergunte na janelinha se é “by meter” se o taxista disser que sim, entre, senão procure outro. Caso você não queira, esteja com pressa ou sem saco para procurar, pode usar o taxi comum mas negocie muito bem o valor antes de aceitar a corrida. Se você não negociar antes de entrar no taxi vai ter que pagar o preço que o taxista quiser cobrar (e não é nada justo… pegamos um sem ser by meter e pagamos umas 4x mais do do o by meter). Todos são tranquilos e seguros a princípio, não tivemos nenhum problema com taxista por lá. Entretanto é sempre bom lembrar para ter paciência pois nem todos falam inglês bom – na verdade quando você encontra um taxista que o mínimo de inglês já é lucro. hehehehe Ande sempre com um cartão de visitas do seu hotel na carteira em casos de emergências de comunicação.

Antes de ir para Bangkok contrate um transfer diretamente com o seu hotel para te pegar no aeroporto e te levar para o hotel. Vale muito a pena mesmo sendo mais caro que táxi. Lembre-se que você vai estar chegando de um voô extremamente longo e cansativo, com o fuso horário todo bagunçado, cheio de malas… Você não quer sair procurando um “taxi by meter” logo de cara, né? Não deixe a sua primeira impressão da cidade ser ruim só porque quis economizar um pouco. O barato as vezes sai caro e na Tailândia isso é muito verdadeiro. Entre em contato com o seu hotel (nós tratamos por email) e solicite um transfer na sua chegada, vai por mim. Na volta tudo bem ir de taxi pois o hotel pode chamar um confiável para você e você vai estar descansado e tranquilo.

Hospedagem em Bangkok

Ainda sobre o barato sair caro na Tailândia, isso vale para a hospedagem também. É possível sim você encontrar hotéis que custem muito (muito mesmo) barato – entretanto eu não indico. A cidade é muito quente, caótica e tumultuada. Apesar de isso fazer parte da experiência, era um alívio saber que iríamos voltar para o nosso hotel com ar condicionado potente, um bom banho e uma cama fofinha. Os hotéis bons (4 ou 5 estrelas) são baratos se comparados com outros destinos como a Europa ou até mesmo no Brasil, então aproveite e escolha um bacana. Imagina passar o dia inteiro suando e no fim do dia ter que voltar para um quarto que o ar condicionado pifou, que está cheio de mofo (lembre-se que higiene não é o forte do país, também uma questão de cultura) ou que o chuveiro é péssimo. Claro, cada um faz as suas escolhas, mas eu não comprometeria minha viagem dessa forma. Nós ficamos hospedados no Bangkok Marriott Hotel Sukhumvit e foi incrível. Super indico! A localização é excelente, perto de uma estação do BTS (escolha sem dúvidas um hotel perto de alguma estação do BTS), cheio de restaurantes por perto, café da manhã perfeito, banheira linda, quarto espaçoso… Foi realmente uma ótima escolha e voltaria com certeza.

O que fazer em Bangkok

Nossa, muita coisa. Tem muito o que se fazer em Bangkok e se você ficasse lá por um mês teria atividades para todos os dias. Mas acredito que 4 noites são suficientes – foi o tempo que ficamos e foi na medida. Se eu tivesse mais tempo teria ficado uma ou duas noites a mais para fazer as coisas com mais calma, mas sabe como é, a praia chamava!

Aula de Culinária em Bangkok

Em Bangkok não deixe de fazer uma aula de culinária. Nós fizemos a nossa em uma escola super bacana (acho que a melhor de Bangkok pelas minhas pesquisas) chamada Blue Elephant. Eles são super famosos e tem até uma marca de ingredientes para a culinária thai deles que vende em todos os supermercados. A nossa aula começou pela manhã com a ida até o mercado de rua (os professores nos levaram de taxi – mas acredito que era porque o BTS não estava funcionando direito naquele dia). No mercado eles nos deram várias frutas e coisinhas diferentes para experimentar, explicaram (com um inglês bem razoável) sobre os ingrendientes e sobre a cultura. Logo depois de comprar os ingredientes, fomos para a escola e aprendemos vários pratos. Tinha uma aula e depois você fazia o seu próprio prato. No fim, eles montavam uma mesa enooooorme, estilo banquete, com todos pratos que você tinha preparado. Foi incrível! Um experiência muito legal mesmo! A culinária tailandesa é super rica e famosa no mundo inteiro. Uma delícia! Aprendemos diversas técnicas e receitas que usamos até hoje aqui em casa. Você pode reservar a aula no dia que você preferir através do site da escola – cada dia da semana é um menu diferente.img_5995img_6033 bangkok-aula-culinaria-blue-elephant Templos em Bangkok

Em Bangkok é imperdível visitar os templos. Vou confessar que eu fiquei morrendo de preguiça (calor demais!) e quase troquei os templos para ficar na piscina do hotel. Mas ainda bem que eu não fiz isso porque adorei conhecer! Foi muito rico culturalmente e incrivelmente lindo. Rende fotos super bacanas! Não vou mentir: apesar de ser bem legal é super cansativo. É um passeio bem puxado pois tem muita coisa pra ver. Nós não vimos absolutamente tudo pois estávamos quase falecendo de tanto calor. Se você for parar para ver tudo e ler tudo, vai ficar 48h só nisso. Nós fizemos uma visita “rápida” de umas 4h entre o Grand Palace, Wat Arun, Emmerald Buddha e Wat Pho. Foi cansativo, teve muito suor, teve uma bolsa perdida (depois recuperada) mas teve também muitas lembranças lindas. Lembre-se de usar calças (essa parte é bem chata com 40 graus hehehe) e cobrir os ombros no dia que você for visitar os templos – eles não deixam entrar de vestido, shorts, saia, regata, etc.

“No one saves us but ourselves. No one can and no one may. We ourselves must walk the path.” ⭐️ #thailand #eduardoeivana

A photo posted by Verdade Feminina • Ivana R. (@vfeminina) on

Passeios no Mercado Flutuante

Um passeio que também é super tradicional e merece a visita é o mercado flutuante. É bem diferente de tudo que conhecemos! Apesar de ser muito turístico dá para ter uma ideia de como eles viviam antigamente, como negociavam, etc. É bem legal: você fica no seu barco passeando pelo rio e comprando comidinhas e souveniers sem sair do barco. Adorei! O Mercado Flutuante fica um pouco afastado de Bangkok (em torno de 1h30 para ir e 1h30 para voltar – é longe mas vale a pena). É um passeio que é bacana contratar com uma empresa de turismo – nós pegamos no próprio hotel um tour privado onde nos levaram de carro (só eu e o Eduardo) até o mercado, nos explicaram tudo e um grui nos acompanhou no passeio todo. Foi super bacana e custou em torno de 150 dólares – caro para os padrões tailandeses mas vale a pena para não cair em furada.

 SPA em Bangkok

Outra programação legal é fazer um SPA em Bangkok – são inúmeras opções ótimas e baratas. Eu fiz um pacote no Let’s Relax SPA que fica dentro do shopping Terminal 21 (que é incrível) e amei! A massagem tailandesa é super famosa – mas escolha alguma opção que utilize óleo porque as secas doem demais kkkk. Fiz um pacote que incluia massagem nas mãos, na cabeça, nos pés e nas costas. Paraíso! Não precisa reservar: é só chegar, escolher no menu qual pacote você deseja e esperar uns 10 minutinhos para ser atendida. O SPA é super bonito, o atendimento é ótimo e por estar dentro de um shopping é bem conveniente. O pacote que eu fiz custou em torno de 100 reais (por 3h de SPA).

Além dessas programações ainda tem várias outras imperdíveis. Anota aí: Shopping Terminal 21, Shopping Central World, restaurantes bacanas (vai ter post só sobre isso), comida de rua (tem em todo lugar!), Chinatown, mercados noturnos, Kaohsan Road, Rooftops… infinitas possibilidades para preencher suas horas da melhor forma possível. Bangkok é incrível e tenho certeza que você vai amar – basta ir de coração aberto para novas culturas e experiências!

bangkok-templos

Já estou morrendo de saudades dessa cidade. Se eu pudesse visitaria todo ano! A Tailândia é incrível, ganhou meu coração para sempre. Um país com um custo benefício maravilhoso, resorts de ponta, super romântico, exótico, massagens deliciosas (e baratas), culinária super rica… Amo eterno! Fique de olho aqui no blog pois vou colocar no ar diversos posts sobre Bangkok (hospedagem, compras, etc) e outras cidades que passamos na Tailândia. Tá esperando o que para comprar a sua passagem?  O tipo de viagem que precisamos fazer algum dia na vida. 

Post Anterior

Compras que valem a pena (de verdade) na Black Friday

Próximo post

Idéal Soleil Antiacne: o protetor solar que trata espinhas (mesmo!)

  • Alini Tucunduva

    Vocês foram em setembro? E o clima de monções? Choveu muito?